Avançar para o conteúdo principal

A única certeza!

Tenho uma certeza neste caminho, no sentido de Nós, os comuns (We, the commons): a de que não podemos ter uma certeza. Partindo da ideia que 'não temos conhecimento para fazer face a situação actual e que em conjunto vamos conseguir desenhar e encontrar as respostas' ("Eu sei como resolver isto!"), fica uma certeza: a de que não podemos achar que temos a certeza, i.e.
a) que uma pessoa, um conjunto pequeno de pessoas conseguem mudar o todo (e.g. regime ditatorial)
b) que um modelo de organização é adoptado como bom e universal para todos (e.g. comunismo, capitalismo)
c) que uma tecnologia será a solução (e.g. nuclear, biotecnologia)

Humildes. Observar, formular hipóteses. Construir protótipos. Experimentar. Aprender. Iterar. Partilhar a experiência. O que funciona num espaço/tempo poderá não funcionar noutro espaço/tempo. O espaço do conhecimento.

Racionais. Temos que ter heuristicas, sobre a forma de normas sociais, que garantem que uma pessoa não terá forma de exercer poder sobre outra pessoa. Sabemos hoje que qualquer um de nós o fará, com o contexto certo. O espaço da relação ou inter-relação (da confiança, do cuidado, da compaixão, do amor).

Observando o 'movimento de open source' e do 'crowdsourcing' vemos estas características (novas relações, mediadas por tecnologia).
Observando o 'movimento europeu' vemos estas características.
Observando a 'felicidade' no Butão...
A cidadania da Terra na Bolívia...
A liberdade de informação na Islândia...

É tempo de empreender novos conceitos. Temos muito trabalho para fazer, desde a alimentação, saúde, educação, sistema financeiro, ... (ver Transformando o G (de EGO para ECO) a partir do Otto Scharmer) i.e. a acção de empreender no Mundo.

Interessante o caso Europeu. Jean Monet, o empreendedor do projecto europeu, tem uma inquietação "como evitar que a Europa entre de novo em guerra ?" No espaço de pouco mais do que uma geração tinhamos tido 2 devastadoras. O mudar a 'propriedade' do carvão e do aço, as materias primas da guerra, para os 'comuns' (estou a puxar a brasa a minha sardinha ;-) consegue que a Europa esteja em paz. As motivações para este projecto são as certas (paz e vida digna para os humanos), o processo o certo, de baixo para cima, em que cada nó participa na construção do que é 'comum'. O modelo de decisão e governação é democratico. Sabemos que o processo pode ser aprofundado, mas comparemos as Nações Unidas com a União Europeia neste tema da governação e da tomada de decisão. Percebemos que na Europa temos um excelente protótipo para uma nova governação Mundial. O conceito social (logo, também económico) que se começou a alterar foi a 'propriedade' que passou a ser mais 'comum', neste caso do carvão e do aço (

Também na Europa e na sua construção temos visto o que acontece quando respeitamos que a 'unica certeza é não haver certeza' e quando não respeitamos:
- veja-se a gestão de fronteiras, a moeda única: uns paises aderiram num momento, outros noutro e outros continuam fora; aqui foi respeitado; cada um experimentou; a regra que foi igual para todos, foi cada um poder escolher como iria fazer; aumentamos a resiliência do sistema
- veja-se a política agricola e das pesas comum: aqui foi abater (e.g. olival), destruir (e.g. frota de pesca); desturimos a resiliência dos sistemas; percebemos agora que não foi um bom critério ser igual para todos e que precisavamos ter menos certezas.

Cada vez mais tenho a sensação que as peças já cá estão todas, basta mudar a forma como as vemos. Se aprendermos a pensar em conjunto, mudamos as nossas acções (e.g. formulamos novas Metáforas). Pensar em conjunto significa, saber conversar uns com os outros. Ou seja, temos que aprender (ou reaprender) a conversar, a ter melhores conversas e novas maneiras de conversar (particular estilo de Liderança (Metáfora de Manada)). De ter um novo entendimento sobre a nossa Liberdade.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

As minhas práticas

Várias pessoas a minha volta tem-me perguntado sobre as minhas práticas, diárias, semanais, mensais, para me manter integro, inteiro, autêntico. Aqui resumo as que tenho praticado:

Diárias (ou praticamente)
- Meditação (aprox. 1h)
- Journaling
- Dormir pelos menos 7 horas
- Beber 1 a 2 litros de água (procurando que seja o mais próximo possível de água de nascente)
- Alimentação consciente: vegan; 30% de crus; tentativamente biológica, local, de comércio justo; sem uso de açucar adicionado, alcool, café, sal refinado; com uso consciente de glutén, soja, sal e cereais integrais
- Jejum de 14 horas
- Andar o máximo que puder
- Leitura de 1 hora (ou visionamento de documentários e/ou filmes ou visita a exposições/ museus)
- Estar diariamente com os meus filhos e companheira
- Procurar um equilíbrio entre eu e a companheira no dia a dia da família (e.g. logistica, filhos)
- realizar tarefas comuns de forma mindfulness (e.g. arrumar a cozinha, conduzir, brincar com os miudos)

Semanais
- P…

Organizações de comuns: a emergência de um novo conceito de propriedade

Imaginem uma estrutura organizacional formada por 3 aneis, assim como o planeta Terra (Núcleo, Manto e Crosta).

O 'Núcleo' é formado pelas relações entre as pessoas que trabalham na organização (e.g. gestores, empregados), quem esta serve (e.g. cliente, utilizadores) e quem é necessário para o serviço (e.g. fornecedores, parceiros). Vamos chamar a este o 'anel da missão'. É um anel de nomeação automática, i.e., se estiver a ter um destes papeis, pertence automaticamente a este anel com os respectivos deveres e direitos. Ou seja, se sou empregado nesta organização pertenço automaticamente a este anel e não tenho como não escolher pertencer.

O 'Manto' é formado por todos aqueles que já estiveram no núcleo executivo e que já não estão, por terem deixado de ser clientes ou utilizadores, parceiros ou fornecedores ou porque se reformaram ou foram executar funções para outras organizações. Vamos chamar a este o 'anel do conhecimento'. É também um anel de nome…

Breves notas sobre propriedade (enciclopédia 4)

Inspirado pela Enciclopédia 1, 2 e 3 do Gonçalo M. Tavares, Breves notas sobre, respectivamente, Ciência, Medo e Ligações, escrevo estas breves notas sobre 'propriedade'.
.... Enciclopédia 4 Breves notas sobre propriedade

Meu, Minha
Meu marido. Meu filho. Meu almoço. Meu corpo. Meu desejo. Meu carro. Meu espírito. Meu trabalho. Meu dinheiro. Meu país. Meu saber. Minha Mente. Minha mulher. Minha dor. Minha alegria. Minha felicidade. Minha auto-estima. Minha nacionalidade. Minha casa. Minha terra. Minha alma. Minha experiência. Minha família.
.........

Minha Família

Quem já passou por partilhas ?
Conhecia esta família ?
Irmão contra Irmão. Tio contra Sobrinho. Filho contra Mãe.

E para o que menos tem - de propriedade - um gato das botas.

..........
Economia I
Terra. Trabalho. Capital. Conhecimento.
..........
Terra I
Quem te nomeou dono ? Como te atribuiram senhor ? (Ver filmes de Indios e Cowboys).
Como ganharam a posse da terra os contemporaneos Americanos ?
No mito que funda…