Avançar para o conteúdo principal

Espanha e Portugal

Com mais uma Cimeira Ibérica como pano de fundo, venho concretizar uma promessa de reflectir sobre as diferenças entre estes dois países vizinhos que têm como fado e sorte terem um destino comum, como nos faz compreender a metáfora da Jangada de Pedra, do José Saramago.

Na História mais recente, uma diferença se assume como fundamental: Espanha fez uma transisão entre a ditadura e a democraria que não fez a purga dos quadros do país, que não destruiu o tecido empresarial e a administração pública - esse foi o maior feito do Rei Juan Carlos: ter liderado uma transição que permitiu à Espanha começar um novo período unida e com todas as suas forças.

Em Portugal, pelo contrário, houve vencedores e vencidos (ainda há!). Os que tinham a experiência de gerir empresas e instituições que actuavam em vários mercados e em vários continentes (afinal erámos um império que marcava presença em 3 continentes!) foram dispensados, os instrumentos de criação de valor nacionalizados, o tecido social português, a sua inteligência e experiência foram profundamente danificados (não tivessem regressado os retornados e a coisa teria sido bem pior!). A consequência foi a de que os nossos pais tiveram que assumir o comando do país sem estarem preparados. Tiveram que ser directors, chefes, sub-directores, ministros, secretários de estado, administradores, gerentes, ... e não estavam preparados. Improvisaram. Fizeram o melhor que sabiam face às circunstâncias.

Assim se explica a instabilidade vivida em Portugal e a estabilidade em Espanha bem visível no número de governos e primeiros ministros de cada um dos lados nos últimos 30 anos. Tinhámos um caminho comum e paralelo... guerras que deixaram marcas profundas no início do século XX, ditaduras míopes por demasiado tempo, mudança de regime e a visão conjunta de pertencer a Europa...

A massa critica é que era muito diferente! Os resultados, infelizmente, também!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

As minhas práticas

Várias pessoas a minha volta tem-me perguntado sobre as minhas práticas, diárias, semanais, mensais, para me manter integro, inteiro, autêntico. Aqui resumo as que tenho praticado:

Diárias (ou praticamente)
- Meditação (aprox. 1h)
- Journaling
- Dormir pelos menos 7 horas
- Beber 1 a 2 litros de água (procurando que seja o mais próximo possível de água de nascente)
- Alimentação consciente: vegan; 30% de crus; tentativamente biológica, local, de comércio justo; sem uso de açucar adicionado, alcool, café, sal refinado; com uso consciente de glutén, soja, sal e cereais integrais
- Jejum de 14 horas
- Andar o máximo que puder
- Leitura de 1 hora (ou visionamento de documentários e/ou filmes ou visita a exposições/ museus)
- Estar diariamente com os meus filhos e companheira
- Procurar um equilíbrio entre eu e a companheira no dia a dia da família (e.g. logistica, filhos)
- realizar tarefas comuns de forma mindfulness (e.g. arrumar a cozinha, conduzir, brincar com os miudos)

Semanais
- P…

Organizações de comuns: a emergência de um novo conceito de propriedade

Imaginem uma estrutura organizacional formada por 3 aneis, assim como o planeta Terra (Núcleo, Manto e Crosta).

O 'Núcleo' é formado pelas relações entre as pessoas que trabalham na organização (e.g. gestores, empregados), quem esta serve (e.g. cliente, utilizadores) e quem é necessário para o serviço (e.g. fornecedores, parceiros). Vamos chamar a este o 'anel da missão'. É um anel de nomeação automática, i.e., se estiver a ter um destes papeis, pertence automaticamente a este anel com os respectivos deveres e direitos. Ou seja, se sou empregado nesta organização pertenço automaticamente a este anel e não tenho como não escolher pertencer.

O 'Manto' é formado por todos aqueles que já estiveram no núcleo executivo e que já não estão, por terem deixado de ser clientes ou utilizadores, parceiros ou fornecedores ou porque se reformaram ou foram executar funções para outras organizações. Vamos chamar a este o 'anel do conhecimento'. É também um anel de nome…

Breves notas sobre propriedade (enciclopédia 4)

Inspirado pela Enciclopédia 1, 2 e 3 do Gonçalo M. Tavares, Breves notas sobre, respectivamente, Ciência, Medo e Ligações, escrevo estas breves notas sobre 'propriedade'.
.... Enciclopédia 4 Breves notas sobre propriedade

Meu, Minha
Meu marido. Meu filho. Meu almoço. Meu corpo. Meu desejo. Meu carro. Meu espírito. Meu trabalho. Meu dinheiro. Meu país. Meu saber. Minha Mente. Minha mulher. Minha dor. Minha alegria. Minha felicidade. Minha auto-estima. Minha nacionalidade. Minha casa. Minha terra. Minha alma. Minha experiência. Minha família.
.........

Minha Família

Quem já passou por partilhas ?
Conhecia esta família ?
Irmão contra Irmão. Tio contra Sobrinho. Filho contra Mãe.

E para o que menos tem - de propriedade - um gato das botas.

..........
Economia I
Terra. Trabalho. Capital. Conhecimento.
..........
Terra I
Quem te nomeou dono ? Como te atribuiram senhor ? (Ver filmes de Indios e Cowboys).
Como ganharam a posse da terra os contemporaneos Americanos ?
No mito que funda…