Avançar para o conteúdo principal

8 saberes necessários à construção do futuro

Num trabalho solicitado pela UNESCO em 1999, Edgar Morin, brinda-nos com um fantástico escrito, onde nos apresenta os sete saberes necessários à educação do futuro, a saber:

1. As cegueiras do conhecimento: o erro e a ilusão
2. Os princípios do conhecimento pertinente
3. Ensinar a condição humana
4. Ensinar a identidade terrena
5. Enfrentar as incertezas
6. Ensinar a compreensão
7. A ética do gênero humano

Com as minhas leituras mais recentes de Saras Sarasvathy acrescentaria o oitavo saber, totalmente em linha e articulando os 7 saberes propostos por Morin:

8. Método de empreender

Reconheci/Reconheço este método na bibliografia de Gandhi, Mandela, Freud, Einstein, ... no Bill Gates, Steve Jobs, Muhammad Yunus, ... no trabalho de Joana Vasconcelos, Leonel Moura, ... em José Tribolet, ... e em tantos outros, de diferentes campos, que tem feito uso deste método para mudar o mundo (o seu e muitas vezes o de muitos de nós).

Sarasvathy provoca-nos e enche-nos de esperança; provoca pois diz-nos que há um método novo de fazer sentido do mundo: o método de empreender - a par do método científico, método expeculativo (filosofia), método artístico, método espiritual, ...

Num paper recente, caracteriza o método da seguinte forma:

"Unleashes the potential of human nature
Purpose is to to engender new ends as well as achieve old ones
Aims to generate and refine design principles—the emphasis is on locality and contingency
Focus is on the inter-subjective
Mechanisms involve action, interaction, reaction, transformation, and explicit co-creation
Possible candidate for a dominant logic: Effectuation"

A esperança é que o método se aprende - é uma competência - como se aprende o método científico: "it can be taught and learned".

Um dia destes ainda me dedico a escrever os <8 saberes necessários à construção do futuro>.

-------
Edgar Morin
Les sept savoirs nécessaires à l’éducation du futur
1999


------
Saras Sarasvathy

"Entrepreneurship as Method: Open Questions for an Entrepreneurial Future", Saras D. Sarasvathy and Sankaran Venkataraman, January, 2011, ENTREPRENEURSHIP THEORY and PRACTICE, Wiley-Blackwell

Comentários

Mensagens populares deste blogue

As minhas práticas

Várias pessoas a minha volta tem-me perguntado sobre as minhas práticas, diárias, semanais, mensais, para me manter integro, inteiro, autêntico. Aqui resumo as que tenho praticado:

Diárias (ou praticamente)
- Meditação (aprox. 1h)
- Journaling
- Dormir pelos menos 7 horas
- Beber 1 a 2 litros de água (procurando que seja o mais próximo possível de água de nascente)
- Alimentação consciente: vegan; 30% de crus; tentativamente biológica, local, de comércio justo; sem uso de açucar adicionado, alcool, café, sal refinado; com uso consciente de glutén, soja, sal e cereais integrais
- Jejum de 14 horas
- Andar o máximo que puder
- Leitura de 1 hora (ou visionamento de documentários e/ou filmes ou visita a exposições/ museus)
- Estar diariamente com os meus filhos e companheira
- Procurar um equilíbrio entre eu e a companheira no dia a dia da família (e.g. logistica, filhos)
- realizar tarefas comuns de forma mindfulness (e.g. arrumar a cozinha, conduzir, brincar com os miudos)

Semanais
- P…

Sobre a 'Transparência'...

Um dos princípios fundadores da João Sem Medo é o 'princípio da transparência e accountability'. Vem do 'movimento manifesto' e dos seus 3 blocos principais 'inteligência colectiva', 'mediação tecnológica' e 'ética dos comuns'. No João Sem Medo é implementado usando o 'rio', que concretiza a mediação tecnológica entre a informação e as pessoas, que acolhe a informação de forma livre, não editada, convoca a inteligência colectiva da comunidade, suportado por uma ética de bem comum.

O tema da transparência é um tema forte nas 'organizações abertas' (https://opensource.com/open-organization/resources/what-open-organization) e para o contexto da liderança é um livro muito interessante 'Open Leadership: How Social Technology Can Transform How You Lead'.

No possibility management (http://www.nextculture.org/) - o próximo curso em PT começa a 24.Fev (https://www.facebook.com/events/336000726775079/) o Clinton apresenta um '…

Organizações de comuns: a emergência de um novo conceito de propriedade

Imaginem uma estrutura organizacional formada por 3 aneis, assim como o planeta Terra (Núcleo, Manto e Crosta).

O 'Núcleo' é formado pelas relações entre as pessoas que trabalham na organização (e.g. gestores, empregados), quem esta serve (e.g. cliente, utilizadores) e quem é necessário para o serviço (e.g. fornecedores, parceiros). Vamos chamar a este o 'anel da missão'. É um anel de nomeação automática, i.e., se estiver a ter um destes papeis, pertence automaticamente a este anel com os respectivos deveres e direitos. Ou seja, se sou empregado nesta organização pertenço automaticamente a este anel e não tenho como não escolher pertencer.

O 'Manto' é formado por todos aqueles que já estiveram no núcleo executivo e que já não estão, por terem deixado de ser clientes ou utilizadores, parceiros ou fornecedores ou porque se reformaram ou foram executar funções para outras organizações. Vamos chamar a este o 'anel do conhecimento'. É também um anel de nome…