Avançar para o conteúdo principal

5 teses do paradigma do futuro

Em 1985 Boaventura de Sousa Santos profere uma Oração de Sapiência na abertura das aulas na Universidade de Coimbra a propósito do ano lectivo.

E que oração! em 1987 surge o texto "Um discurso sobre as ciências", Edições Afrontamento. Um daqueles textos de tirar a respiração. Que clarividência.
Com suprema elegância descreve-nos os paradigma dominante, o que conseguimos atingir com ele e, suprema ironia, o geramos com ele: o conhecimento que o colocou em 'cheque'!

Falamos de "condições teóricas" que fundamentam "a crise deste paradigma" dominante:

1. Einstein e a relatividade da simultaneidade

2. Heisenberg e Bohr, com a mecânica quântica, mostram que para observar ou medir interferimos

3. Godel e os teoremas da incompletude e sobre a impossibilidade

4. Prigogine e a teoria das estruturas dissipativas e o princípio da ordem através de flutuações

Descreve-nos um "movimento convergente" que vai a caminho de um novo paradigma, um paradigma descrito com 4 "teses":

I. Todo o conhecimento científico-natural é científico-social

II. Todo o conhecimento é local e total

III. Todo o conhecimento é autoconhecimento

IV. Todo o conhecimento científico visa constituir-se em senso comum

"Sabemo-nos a caminho mas não exactamente onde estamos na jornada. A condição epistemológica da ciência repercurte-se na condição existencial dos cientistas. Afinal, se todo o conhecimento é autoconheicmento, também todo o desconhecimento é autodesconhecimento."

Este 'gesto' de humildade, a humildade da sapiciência, a humildade de quem sente o movimento - Beck e Cowan na "Dinâmica da Espiral" chamam os "feiticeiros da espiral" - abre-nos a porta para a nossa especulação.

Nas condições teóricas, gostava de acrescentar duas, que tem desafiado, pelos mesmo flancos epistemológicos, o já fragil paradigma, mas que convém lembrar, ainda vigente (como Kuhn nos preveniu!):

5. A ciência das redes e o seu mais famoso laboratório: a internet: como se organiza o que conhecemos ?

6. As teorias que desvendam o nosso cerebro, a sua arquitectura e o seu comportamento, em particular a consciência: como conhecemos ?

Aqui é de todo oportuno relembrar António Damásio e os seus trabalhos, em particular "O livro da consciência".

Com estas novas condições, o novo paradigma ganha mais peso e acrescenta-se:

V. Todo o conhecimento é micro e macro (EU e NÓS)

Nota: que bom um texto onde os protogonistas são portugueses!

---
"Um discurso sobre as ciências",
Boaventura de Sousa Santos,
Edições Afrontamento, 16ª ed, 2010

"O livro da consciência",
António Damásio,
Edição Circulo de Leitores, 2010

Comentários

Mensagens populares deste blogue

As minhas práticas

Várias pessoas a minha volta tem-me perguntado sobre as minhas práticas, diárias, semanais, mensais, para me manter integro, inteiro, autêntico. Aqui resumo as que tenho praticado:

Diárias (ou praticamente)
- Meditação (aprox. 1h)
- Journaling
- Dormir pelos menos 7 horas
- Beber 1 a 2 litros de água (procurando que seja o mais próximo possível de água de nascente)
- Alimentação consciente: vegan; 30% de crus; tentativamente biológica, local, de comércio justo; sem uso de açucar adicionado, alcool, café, sal refinado; com uso consciente de glutén, soja, sal e cereais integrais
- Jejum de 14 horas
- Andar o máximo que puder
- Leitura de 1 hora (ou visionamento de documentários e/ou filmes ou visita a exposições/ museus)
- Estar diariamente com os meus filhos e companheira
- Procurar um equilíbrio entre eu e a companheira no dia a dia da família (e.g. logistica, filhos)
- realizar tarefas comuns de forma mindfulness (e.g. arrumar a cozinha, conduzir, brincar com os miudos)

Semanais
- P…

Organizações de comuns: a emergência de um novo conceito de propriedade

Imaginem uma estrutura organizacional formada por 3 aneis, assim como o planeta Terra (Núcleo, Manto e Crosta).

O 'Núcleo' é formado pelas relações entre as pessoas que trabalham na organização (e.g. gestores, empregados), quem esta serve (e.g. cliente, utilizadores) e quem é necessário para o serviço (e.g. fornecedores, parceiros). Vamos chamar a este o 'anel da missão'. É um anel de nomeação automática, i.e., se estiver a ter um destes papeis, pertence automaticamente a este anel com os respectivos deveres e direitos. Ou seja, se sou empregado nesta organização pertenço automaticamente a este anel e não tenho como não escolher pertencer.

O 'Manto' é formado por todos aqueles que já estiveram no núcleo executivo e que já não estão, por terem deixado de ser clientes ou utilizadores, parceiros ou fornecedores ou porque se reformaram ou foram executar funções para outras organizações. Vamos chamar a este o 'anel do conhecimento'. É também um anel de nome…

Breves notas sobre propriedade (enciclopédia 4)

Inspirado pela Enciclopédia 1, 2 e 3 do Gonçalo M. Tavares, Breves notas sobre, respectivamente, Ciência, Medo e Ligações, escrevo estas breves notas sobre 'propriedade'.
.... Enciclopédia 4 Breves notas sobre propriedade

Meu, Minha
Meu marido. Meu filho. Meu almoço. Meu corpo. Meu desejo. Meu carro. Meu espírito. Meu trabalho. Meu dinheiro. Meu país. Meu saber. Minha Mente. Minha mulher. Minha dor. Minha alegria. Minha felicidade. Minha auto-estima. Minha nacionalidade. Minha casa. Minha terra. Minha alma. Minha experiência. Minha família.
.........

Minha Família

Quem já passou por partilhas ?
Conhecia esta família ?
Irmão contra Irmão. Tio contra Sobrinho. Filho contra Mãe.

E para o que menos tem - de propriedade - um gato das botas.

..........
Economia I
Terra. Trabalho. Capital. Conhecimento.
..........
Terra I
Quem te nomeou dono ? Como te atribuiram senhor ? (Ver filmes de Indios e Cowboys).
Como ganharam a posse da terra os contemporaneos Americanos ?
No mito que funda…