Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Janeiro, 2009

Sobre velhos...

Um amigo enviou-me um texto que reproduzo abaixo. O texto fez-me lembrar uma reflexão que venho fazendo e qu já partilhei com alguns amigos: a necessidade de novos e velhos trabalharem em conjunto.

As razões são várias e de diferente natureza, a saber:
a) Porque os velhos sabem mais e os novos precisam saber mais de coisas tão simples como saber viver, saber ultrapassar os medos, a ilusões, as desiluções, ...

b) Porque a idade de reforma aumentou

c) Porque nascem menos 'novos'

d) Porque não é sustentável substituir conhecimento por inexperiência

e) Porque não é sustentável continuar a precarizar o trabalho jovem (veja-se Paris, Grécia, por exemplo)

f) Porque hoje os velhos são os nossos pais e avós e porque amanhã somos nós!

g) Porque não é humano institucionalizar aqueles que amamos!

Com a campanha do Mário Soares a presidência o tema foi muito falado. Também, sobre os últimos anos do papado de João Paulo II. Mas o tema desapareceu da agenda mediática. A continuada substiuição do …

Diniz

Na manhã de 5a feira, 15.Jan, foi pôr o Afonso escola. De seguida fui para o Hospital, de Metro, após ter deixo o carro na garagem da empresa. Pensava que sabia quais seriam as emoções do dia, mas não... a chuva que apanhei à saída do Metro era apenas um preságio das lágrimas de alegria com que acabaria o dia. Pelas 22h00 entrava na sala de partos com uma bata e uma mascara na cara, mesmo a tempo de ver o Diniz nascer, o nosso segundo filho - infelizmente não foi possível assistir ao Afonso, o nosso primeiro, hoje com 32 meses. Tinha 48 cm e 3,2 Kg. Com a mamã correu tudo muito bem. O Afonso foi conhece-lo na 6a feira pelas 19h. Deu ao irmão o elefante que tinha comprado com o pai uma semana antes, e ficou muito surpreendido e contente com a máquina fotografica que o irmão lhe ofereceu, como ele diz, "o meu mamo é que deu". O Afonso foi de férias com os avós e tem tirado muitas fotografias. O Diniz está óptimo, hoje com 9 dias. O pai ainda a recuperar das emoções.

Cheira a Guerra (WWIII ?)

No dia em que a Rússia cortou o gás a Europa, só tomei conhecimento da notícia ao final do dia quando regressava pra casa. Ao ouvi-la, pensei para comigo "cheira a guerra"!

No fim de semana anterior tinha ouvido uma entrevista no 60 minutos do Ministro do Petróleo da Arábia Saudita a dizer que tudo fariam para manter a economia do petróleo. Da Rússia nunca se houve nada, mas eles fazem e, pela 2a vez, após acordos e promessas que não voltavam a fazer!
Israel-Palestina!
A malta (população do mundo!) não tem dinheiro para comer (mesmo a que tem emprego - veja-se o que se está a passar no EUA) e está a ficar sem o emprego!
Os que investem perderam o suficiente para não voltar a investir tão cedo!
Atenas deu continuidade a um caminho que Paris já tinha mostrado alguns meses antes!
O modelo civilizacional está em crise: economia, finança, ambiente, clima, ...

Ar, Terra, Água e Energia (fogo!) voltam a emergir como os elementos fundamentais de uma equação difícil!

Há poucas saídas!

Portugal.

Em Agosto escrevi aqui que a intervenção do PR não era 'local' ao estatuto dos Açores mas tinha outros destinatários e outras ideias.

No Sábado passado o Expresso tinha na sua capa um artigo "Madeira quer federalismo" e no seu interior um grande destaque no tema.
Esta semana o Presidente do Governo Regional do Açores deu uma entrevista de 'ataque' ao PR, digo a República, por via do PR.

Julgo que a preocupação do Presidente em Agosto começa a ficar mais clara!

Feliz Olhar Novo

"O grande barato da vida é olhar para trás e sentir orgulho da sua história.

O grande lance é viver cada momento como se a receita da felicidade fosse o aqui e o agora. Claro que a vida prega peças. É lógico que, por vezes, o pneu fura, chove demais... Mas, pensa só: tem graça viver sem rir de gargalhar pelo menos uma vez ao dia? Tem sentido ficar chateado durante o dia todo por causa de uma discussão na ida pro trabalho?

Quero viver bem! Este ano que passou foi um ano cheio. Foi cheio de coisas boas e realizações, mas também cheio de problemas e desilusões. Normal. Às vezes se espera demais das pessoas. Normal. A grana que não veio, o amigo que decepcionou, o amor que acabou. Normal.

O ano que vai entrar não vai ser diferente. Muda o ano, mas o homem é cheio de imperfeições, a natureza tem sua personalidade que nem sempre é a que a gente deseja, mas e aí? Fazer o quê? Acabar com seu dia? Com seu bom humor? Com sua esperança?

O que eu desejo para todos nós é sabedoria!

E que todo…