sábado, 4 de fevereiro de 2012

Collaboration University

Ontem, 3.Fev, assisti no ISEG (obrigado Paulo Soeiro de Carvalho) a uma fantástica palestra de Jose Luis Cordeiro da Singularity University (uma Universidade situada em Silicon Valey e powered by NASA e GOOGLE).

Fizemos uma viagem pela ciência e tecnologia do presente, de olhos postos no futuro: Nano-Tecnologia, Bio-Tecnologia, Info-tecnologia, Cogno-tecnologia. Segundo o orador entre 5 a 50 anos teremos muitas e importantes mudanças tecnologicas das quais sublinhamos:
- fim do envelhecimento humano e imortalidade
- fim da medicina curativa (eliminação de todas as doenças) e início da medicina proactiva
- fim da era humana e início da era do híbrido homem-máquina (homem + robot) ou melhoramento das características humanas através da tecnologia
- nascimento da comunicação telepática
- clonagem e selecção dos filhos
- fim da privacidade biologica e social

Independentemente da validade das previsões, foi interessante ter um status do que estamos a fazer ao presente em cada um destes campos e a sua importância para o nosso futuro: alimentação, energia, novas fronteiras (e.g. espaço).

No CV inclui ética, dado as questões que levanta: se não morremos, como fica a vida após a morte ? e como posso ir ter com o criador ? a quem pertence os meus dados biologicos ? ...

No entanto, houve um ponto que me deixou perplexo, contemplativo e que vai ao encontro das minhas suspeitas há já algum tempo. Cada inovação tecnológica coloca desafios novos na forma de organização. Veja-se as inovações ao nível da info-tecnologia que criaram a internet e as suas ferramentas, possibilitando o aparecimento da wikipedia.org, kiva.org, ...
O discurso do orador foi focado em organizações do presente, com formas de organização do passado, por exemplo falou-se muito de países, empresas multinacionais, actual sistema político, sistema económico, ...

O ar refrescante da 'tecnologia' e do que cada pessoa conseguirá fazer, ultrapassando todos os limites do possível e imaginável, choca com o ar a mofo da 'organização', cujas estruturas são as mesmas há muitos séculos (e.g. país) e os modelos em revisão (e.g. burocracia, democracia representativa).

A cerca de 50.000 que o nosso cerebro não muda. Então estavamos a pintar nas cavernas; hoje projectamos como vamos desenhar nas 'cavernas' de Marte. Esta conquista é a conquista da colaboração e das formas de organização, bem como da produção, memória e transmissão de conhecimento de geração para geração. Um simples telemóvel é um artefacto que envolve milhões de seres humanos.

Depois desta palestra foi claro para mim que a próxima deveria ser sobre a 'Collaboration University'. Um dos nossos desafios é imaginar as organizações que todo este contexto tecnológico potenciam e quais delas permitem a nossa realização, tirar o maior potencial de cada um de nós. O que sabe a sociedade de si ? Como se organiza a sociedade ? Qual a nossa participação ?

Na Singularity University o CV é:
* Technology Tracks
- AI & Robotics
- Nanotechnology
- Networks & Computing Systems
- Biotechnology & Bioinformatics
- Medicine & Neuroscience
* Resource Tracks
- Futures Studies & Forecasting
- Policy, Law & Ethics
- Finance, Economics & Entrepreneurship
* Application Tracks
- Energy & Ecological Systems
- Space & Physical Sciences

Na 'Collaboration University' poderia ser (draft imcompleto):
- O mundo da Fisíca e da condição universal
- O mundo da Biologia e da condição planetária
- O mundo da Antropologia e da condição humana
- O mundo da Informação e da consciência
- Ciência do Desenho e dos modelos
- Conhecimento, princípios e limites
- Métodos do saber: empreendedorismo, científico, artístico, filosófico, espiritual
- Tecnologia (NBIC)
- Princípios de Organização e Inteligência Colectiva


Sem comentários: