domingo, 2 de março de 2008

Discutindo Portugal...

Já aqui fiz referência a um novo movimento da sociedade civil intitulado "Novo Portugal" (http://coisas-do-marco.blogspot.com/2008/01/novo-portugal-opes-de-uma-gerao.html). O Expresso (Edição 1844) começou a publicar os textos que serviram de base a discussão, neste caso os primeiros 3 textos de 7 (um por cada área):
* Valores: a cidadania adormecida, Paulo Duarte Teixeira, Juiz de Direito e Coordenador do Grupo Valores
* Organizar Portugal, Eduardo Correia, Professor da IBS - ISCTE Business School e Coordenador do Grupo Organização
* Conhecimento: 2028, Gustavo Cardoso, Professor e Investigador do ISCTE e Coordenador do Grupo Conhecimento

Ao longo dos últimos meses várias tem sido as propostas para transformar Portugal... o debate está muito acesso, em parte devido ao facto de a BBDO ter conseguido que o governo de Sócrates tenha feito a campanha que o governo de Barosso não fez! Em http://ipamlae.blogspot.com/2007/12/marca-portugal.html podemos encontrar um resumo dessas ideias, resumidas pelo Sérgio Henrique Santos Director de Planeamento Estratégico da Lowe Lisboa:

-Prof. Ernâni Lopes com o seu "cluster da economia do mar" e a reinvenção do turismo português como a "Flórida dos Estados Unidos da Europa".

- Pedro Bidarra da BBDO e o conceito "Europe´s West Coast", como forma de dissociar Portugal
das conotações negativas e ideias-feitas que normalmente os "Países do Sul" têm.

- Henrique Agostinho da Consumering e a ideia de apostar num "comércio do conforto". Exportar a nossa qualidade de vida, posicionando Portugal como um "País confortável" no meio das associações imediatas que outros países despertam na nossa cabeça, como por ex: França = luxo e qualidade de vida; Escócia = robustez; Alemanha = engenharia e fiabilidade; Itália = estilo e design; Espanha = espírito de conquista, comércio e cultura; América = liberdade, iniciativa e oportunidade.

- Tomás Froes da MSTF Partners e a ideia de posicionar Portugal como um "Test Country". Dada a natureza curiosa dos portugueses e a apetência por novidades, Portugal poderia posicionar-se como uma boa base para testar novidades. Não só tecnológicas, mas também a nível de outras categorias de produtos e serviços (a McDonald's, a título de exemplo, utiliza o mercado português como balão de ensaio de alguns dos seu produtos).

Sem comentários: