domingo, 2 de março de 2008

As minhas primeiras impressões...

O mérito de todas estas iniciativas é a de tentar colocar no centro do debate o nosso País e o seu futuro: o que verdadeiramente me interessa (o ruído das política contemporânea diz-me pouco!).

Para mim há um valor adicional, permite-me discutir, reflectir em conjunto, em vez de o fazer sozinho (é difícil encontrar interloctores para estes temas! sou eu que frequento os sítio errados :-(.

Algumas são conceitos que chamo de 'casca', i.e., não transpostam necessariamente um conteúdo; podem ser interessantes para mudar a imagem que exista de Portugal ou para assinalar determinados factos/ circunstâncias... mas o seu valor é localizado. É o caso da 'Europe's West Coast' e 'País confortável'.

Outras transportam um enunciado de potenciar os recursos naturais existentes como o mar e o sol. Já são propostas de conteúdo. Trazem consigo a criação de conhecimento através do potenciar recursos naturais. Diria que são as clássicas para os modelos clássicos de economia e produção. Têm um problema, o esgotar dos recursos (e.g. o Algarve pode ser um bom exemplo, infelizmente não o único; veremos o que vamos ter em Alqueva e na Costa Alentejana).

A do 'país de testes' tem uma diferença muito importante: fundamenta-se no capital humano; nos veículos do conhecimento e na sua capacidade para gerar novo conhecimento. Sabe a pouco, mas a direcção parece-me boa.

Daqui resulta que teremos que encontrar enunciados que tenham um conceito, que potenciem os nossos recursos (de forma a continuarem a existir!) e cujo pilar central seja a continuada criação de conhecimento a partir de todo o capital humano, cultural, social e histórico que se reúne sobre o nome Portugal.

Por último o 'novo Portugal' que querer reflectir Portugal em 7 áreas: Espaço, Recursos, Pessoas, Valores, Conhecimento, Cultura, e Organização.; reporto-me aos 3 textos conhecidos: Valores, Conhecimento e Organização. Tem uma ideia consolidada: que somos a geração da eficiência e da eficâcia, i.e., o nosso desafio. Tem o grande mérito de lançar a discussão (como este próprio post ilustra). Mas... soube-me a pouco. Fiquei com a ideia de ser o 'velho' com a roupa 'nova'; senti muito de Talcott Parsons e Katz e Kahn, Herbert Simon, Chandler... pouco de Mintzberg, Ghoshal, Bartlett, Giddens, Maturana, Guedes, Argyris, Nonaka, ...
(Ver Pensamentos, em particular o VIII).

Vamos esperar pelos próximos e pelos resultados para uma ideia mais definitiva.

--------
Na sequência de:
http://coisas-do-marco.blogspot.com/2008/03/discutindo-portugal.html
http://coisas-do-marco.blogspot.com/2008/01/novo-portugal-opes-de-uma-gerao.html

Sem comentários: