sábado, 9 de fevereiro de 2008

Sobre a justiça (ou a injustiça)...

Tenho para comigo que a Justiça Portuguesa, em todas as suas dimensões está doente e o principal sintoma é que os seus agentes dizem que o sistema não está bem mas que até temos bons agentes (juizes, oficiais, advogados,...) e que a culpa é da falta de atenção política, dinheiro, ...

O principal 'pecado', se me permitem a linguagem religiosa, desta Justiça é que deixou de estar alinhada com a vida dos Homems, deixando de ser justa, cega, ...

Sou um dos cidadãos que sente na pele esta injustiça (da falta de alinhamento): tenho alguns direitos que senti violados e tive que recorrer a nossa justiça!

Tendo que fazer está declaração de interesses, tenho que dizer que sou apenas um caso... veja-se os casos da tutela das meninas (que me lembre foram 3 no último ano), do desaparecimento de crianças, da casa pia, das constantes quebras do sigilo e das fugas, dos arquivamentos, das sentenças ao fim de décadas, ...

A Justiça, a par da sua irmã Segurança (interna e externa) são o terreno onde assenta a casa da Democracia, por isso os seus efeitos fazem-se sentir em todos os sectores da nossa sociedade, do nosso País.

É por está razão que defendo que a única reforma que temos mesmo que fazer é a da Justiça; uma reforma que alinhe a Justiça com a vida dos Homems. O resto acontecerá por si!

Sem comentários: