sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Crimes no Porto

Num estado de direito já falou quem deveria falar nesta fase: a polícia, o juiz de instrução e o MP.

Pelo que agora se vê, já faltam respostas para:
- Como foi possível o desenvolvimento de gangs (plural!) na cidade do Porto ? O SIS não detectou/monitorizou/ recomendou ? Se sim, em que ponto (ou quem) falhou a acção para a prevenção ?
- A PGR não está a funcionar como um corpo único e coerente. A PJ tb não. Como e quem garante o foco e alinhamento organizacional ?
- A Arquitectura de Informação do sistema (multi-organizacional!) não existe ou é insuficiente, ou seja, a acção aparenta não estar sustentada/ informada. Quem já percebeu este problema e como (quem?) pode actuar para resolver ?
- Terá havido precipitação na acção nacional e local ?

Guardemos novo silêncio, esperando pela próxima acção da polícia (continuando a investigar) e da magistratura (desenvolvendo o processo já conhecido).

Sem comentários: