quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Cantiga de Embalar

Faz ó-ó meu pequenino
- Anda lá fora um rumor...
Voz do mar ou voz do vento ?
Faz ó-ó...
- Seja quem for!

Vejo as estrelas brilhando
Através desta vidraça.
Sinto-me triste, mais só...
E a minha voz vai cantando
-Ó-ó... ó-ó

António Botto (1897-1959)
in 'poetas de hoje e de ontem', selecção de Varanda, M.L. e Santos, M.M. e ilustrações de Canhestro, F.

Sem comentários: